Terça-feira
19 de Outubro de 2021 - 

Acompanhar Processos

Cliente, insira seu e-mail e senha para ter acesso a informações de seu Processo

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,52 5,52
EURO 6,41 6,41

Previsão do tempo

Hoje - Curitiba, PR

Máx
13ºC
Min
11ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Curitiba, PR

Máx
15ºC
Min
10ºC
Chuvas Isoladas

Quinta-feira - Curitiba, PR

Máx
16ºC
Min
10ºC
Chuvas Isoladas

Sexta-feira - Curitiba, PR

Máx
20ºC
Min
11ºC
Nublado

Hoje - Campo Mourão, PR

Máx
22ºC
Min
15ºC
Chuvas Isoladas

Quarta-feira - Campo Mourão, PR

Máx
21ºC
Min
12ºC
Predomínio de

Quinta-feira - Campo Mourão, PR

Máx
25ºC
Min
13ºC
Parcialmente Nublado

Sexta-feira - Campo Mourão, PR

Máx
28ºC
Min
14ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Maringá, PR

Máx
21ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Quarta-feira - Maringá, PR

Máx
22ºC
Min
12ºC
Predomínio de

Quinta-feira - Maringá, PR

Máx
24ºC
Min
12ºC
Parcialmente Nublado

Sexta-feira - Maringá, PR

Máx
27ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Notícias

Newsletter

Cadastre aqui se deseja receber informações periódicas sobre nossas atividades.

Contato

Avenida Advogado Horácio Raccanello Filho 6326 Sala 05
Novo Centro
CEP: 87020-035
Maringá / PR
+55 (44) 8805-5442+55 (44) 3029-9373

MP não tem legitimidade para questionar cobrança de taxa por associação de moradores, define Quarta Turma

​Por entender que se trata de interesse eminentemente privado, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) afastou a legitimidade do Ministério Público (MP) para propor ação civil pública com o objetivo de questionar taxa supostamente abusiva cobrada por associação de moradores.Como consequência, o colegiado manteve a extinção do processo no qual o Ministério Público de Minas Gerais alegava que uma associação estaria cobrando dos moradores por serviços que já eram prestados pelo poder público, como capinagem, limpeza de rua e segurança. Em recurso dirigido ao STJ, o MP sustentou que sua legitimidade para propor a ação seria decorrente não só do interesse da coletividade de moradores atingidos pela cobrança, mas também da existência de multiplicidade de ações sobre o mesmo tema, o que justificaria a intervenção para pacificar a controvérsia. Interesse tutelado pelo MP deve ter relevância socialO relator do recurso, ministro Antonio Carlos Ferreira, apontou que, de acordo com a jurisprudência do STJ, o MP possui legitimidade para promover a tutela coletiva de direitos inpiduais homogêneos, mesmo os de natureza disponível, desde que o interesse jurídico tutelado tenha relevante caráter social. Sob essa perspectiva, o magistrado destacou que, no caso dos autos, não se busca defender bens ou valores essenciais à sociedade – como meio ambiente, educação ou saúde –, nem se pretende tutelar o direito de inpíduos considerados vulneráveis – a exemplo de consumidores, pessoas com necessidades especiais ou menores de idade. "Por tudo isso, conclui-se que, no caso dos autos, o Ministério Público não é dotado de legitimidade ad causam para ajuizar ação civil pública visando a defesa do direito do proprietário de não pagar taxa cobrada por associação de moradores, em razão da ausência de relevante interesse social, devendo, portanto, ser mantida a extinção do processo por carência de ação", concluiu o ministro.Leia o acórdão no REsp 1.585.794.
11/10/2021 (00:00)
Visitas no site:  1407596
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.