Sábado
23 de Fevereiro de 2019 - 

Acompanhar Processos

Cliente, insira seu e-mail e senha para ter acesso a informações de seu Processo

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,74 3,74
EURO 4,24 4,25

Previsão do tempo

Hoje - Curitiba, PR

Máx
30ºC
Min
19ºC
Poss. de Panc. de Ch

Domingo - Curitiba, PR

Máx
31ºC
Min
20ºC
Pancadas de Chuva a

Segunda-feira - Curitiba, PR

Máx
28ºC
Min
21ºC
Pancadas de Chuva

Terça-feira - Curitiba, PR

Máx
22ºC
Min
16ºC
Pancadas de Chuva

Hoje - Campo Mourão, PR

Máx
31ºC
Min
22ºC
Poss. de Panc. de Ch

Domingo - Campo Mourão, PR

Máx
31ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva a

Segunda-feira - Campo Mourão, PR

Máx
31ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva

Terça-feira - Campo Mourão, PR

Máx
26ºC
Min
21ºC
Pancadas de Chuva

Hoje - Maringá, PR

Máx
31ºC
Min
22ºC
Poss. de Panc. de Ch

Domingo - Maringá, PR

Máx
32ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva a

Segunda-feira - Maringá, PR

Máx
33ºC
Min
24ºC
Pancadas de Chuva

Terça-feira - Maringá, PR

Máx
28ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva

Notícias

Newsletter

Cadastre aqui se deseja receber informações periódicas sobre nossas atividades.

Contato

Avenida Advogado Horácio Raccanello Filho 6326 Sala 05
Novo Centro
CEP: 87020-035
Maringá / PR
+55 (44) 8805-5442+55 (44) 3029-9373

Nota | ANPR manifesta apoio e repudia ataques a procurador

Brasília (08/02/2019) – A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) vem a público manifestar apoio à atuação do procurador da República Filipe Andrios Brasil Siviero, do Ministério Público Federal (MPF) em Santo Ângelo (RS), e desagravá-lo de críticas públicas feitas pela Defensoria Pública da União (DPU). Em Ação Civil Pública, ajuizada pelo procurador da República, o MPF requereu à União a indicação de defensor público federal ou advogado contratado para garantir a um cidadão portador de deficiência visual grave acesso à assistência judiciária integral e gratuita. O pedido foi feito depois que a DPU se negou a prestar o atendimento, sob a alegação de que não poderia fazê-lo, considerando não ter unidade instalada na cidade ou em localidade próxima. Para o procurador, a ausência física na cidade não justifica o não atendimento, considerando que a DPU apresenta condições tecnológicas para atuar em todos os municípios com o uso de ferramentas de teleatendimento. E, na ação, citou exemplos de casos de defensores em teletrabalho no Canadá, nas Bahamas e na Suíça. É importante destacar que os avanços tecnológicos implantados pela Justiça Federal por meio do processo eletrônico (E-Proc) permitem a atuação dos defensores por videoconferências em qualquer região. Por outro lado, a DPU usou o site institucional e as redes sociais oficiais para tecer críticas à atuação do procurador da República, que, cumprindo sua atribuição constitucional, fez uma ação perfeitamente dentro de seus afazeres para garantir o melhor à sociedade. Mesmo em tempos do novo regime fiscal instituído pela Emenda Constitucional 95, é possível a qualquer órgão o atendimento via teletrabalho aos cidadãos brasileiros – especialmente aos mais vulneráveis – desde que haja empenho em criar mecanismos de facilitação do acesso à Justiça, tais como canais de atendimento via Whatsapp, convênios com a Ordem dos Advogados do Brasil, Defensorias Públicas, universidades ou até mesmo contratando escritórios de advocacia via licitação. Diante da negativa, o MPF em Santo Ângelo atuou, extrajudicialmente, para que o Instituto Federal Farroupilha (IFFAR) promova as adaptações e garanta acessibilidade ao estudante – processo ainda em análise. Este não foi o primeiro caso em que há necessidade de atuação do MPF em prol de cidadãos sem acesso a defensores no estado do Rio Grande do Sul. Em relação a acusação de que o procurador teria invadido a privacidade de uma defensora pública ao expor fotos publicadas em rede social, faz-se importante destacar que os meios de prova utilizados foram de fontes abertas com o intuito de exemplificar que é possível, por teletrabalho, atender a população. Em nota pública, a Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais (Anadef) chegou a afirmar, nesta sexta-feira (8), que o procurador desrespeitou a defensora pública federal “violando sua honra e expondo sua privacidade”. A afirmação é absolutamente inverídica considerando que não há invasão de privacidade quando a fonte é aberta. A exposição teve um único fim: mostrar que é possível atender a população mesmo a distância. A nota em questão inverte, claramente, o real problema: a falta de acesso à Justiça a um cidadão. O teleatendimento torna-se cada vez mais necessário para atender quem mais precisa. Não à toa, o MPF tenta regulamentar a atuação a distância. A ANPR, assim como os procuradores da República, tem total respeito pela Defensoria Pública da União como órgão, mas há, claramente, em equívoco, considerando que o principal foco desta ação é beneficiar uma pessoa hipossuficiente. Os dois órgãos devem atuar conjuntamente na solução do problema e descabe, como, infelizmente, estão fazendo a DPU e defensores, transformar em debate corporativo. Para além de adentrar nos detalhes da ação, a ANPR vem a público manifestar integral apoio ao exercício regular, impessoal e técnico capitaneado pelo membro do MPF Filipe Andrios Brasil Siviero, amplamente investido de suas prerrogativas na condução técnica de suas funções. O Ministério Público é um só e atacar um procurador da República pelo exercício de suas funções é atacar a todos. José Robalinho Cavalcanti Procurador Regional da República Presidente da ANPR
Visitas no site:  407111
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.