Segunda-feira
19 de Agosto de 2019 - 

Acompanhar Processos

Cliente, insira seu e-mail e senha para ter acesso a informações de seu Processo

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,99 3,99
EURO 4,43 4,43

Notícias

Newsletter

Cadastre aqui se deseja receber informações periódicas sobre nossas atividades.

Contato

Avenida Advogado Horácio Raccanello Filho 6326 Sala 05
Novo Centro
CEP: 87020-035
Maringá / PR
+55 (44) 8805-5442+55 (44) 3029-9373

Michele Caputo pede apoio do Estado frente à crise do transporte em Guaraqueçaba

O deputado estadual Michele Caputo (PSDB) solicitou, nesta terça-feira (13), o apoio emergencial do Governo do Paraná ao município de Guaraqueçaba, tendo em vista a grave situação do transporte escolar e de pacientes da cidade. A falta de manutenção das ambulanchas, barcos e ônibus, por parte da prefeitura, tem prejudicado o ano letivo dos alunos e também causa inúmeros problemas no atendimento de saúde da população. Durante a sessão plenária desta terça, Caputo também pediu que o Estado tome providências para responsabilizar os gestores que deixaram de conservar adequadamente as ambulanchas, patrimônio público adquirido mediante convênio com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano. Além disso, o deputado quer saber onde a prefeitura de Guaraqueçaba tem aplicado os recursos repassados pela Secretaria de Estado da Educação para o custeio do transporte escolar. O valor teria chegado a R$ 446 mil somente este ano.“O que vimos na mídia durante a semana passada mostra a realidade que o povo de Guaraqueçaba tem enfrentado nos últimos meses. Barcos sem motor, ambulanchas abandonadas, ônibus parados e a população sofrendo por conta da ineficiência do poder público”, relata o deputado. Com mais de 8 mil habitantes, Guaraqueçaba tem 19 ilhas e 22 comunidades rurais. Por conta disso, quase metade da população vive fora da sede e necessita de transporte público para ter acesso a serviços básicos como saúde e educação. Desde o ano passado, o presidente da Câmara de Vereadores da cidade, vereador Thuca da Saúde, tem denunciado a precariedade na manutenção da frota marítima e terrestre da prefeitura. Segundo ele, o Estado destina recursos para compra de veículos e embarcações e, em contrapartida, o executivo municipal deveria cuidar da manutenção da frota.  “Infelizmente, o que acontece é bem diferente. Das dez ambulanchas adquiridas em 2016, cinco estão sem uso. Uma delas é uma UTI móvel, que poderia dar suporte ao atendimento de casos mais graves”, explica o vereador. O caos na saúde também é visível na rede básica de atendimento. Não há médicos nas unidades de saúde e o atendimento nas ilhas também foi suspenso. “Isso tem sobrecarregado o hospital estadual, que agora foi obrigado a atender toda a demanda de assistência médica do município”, alerta Michele Caputo.
13/08/2019 (00:00)
Visitas no site:  489196
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.