Quinta-feira
27 de Junho de 2019 - 

Acompanhar Processos

Cliente, insira seu e-mail e senha para ter acesso a informações de seu Processo

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,83 3,83
EURO 4,36 4,36

Notícias

Newsletter

Cadastre aqui se deseja receber informações periódicas sobre nossas atividades.

Contato

Avenida Advogado Horácio Raccanello Filho 6326 Sala 05
Novo Centro
CEP: 87020-035
Maringá / PR
+55 (44) 8805-5442+55 (44) 3029-9373

Hussein Bakri destaca importância do Programa Mãos Amigas em obras de escolas estaduais

O deputado Hussein Bakri (PSD) estabeleceu, nesta terça-feira (21), uma parceria entre a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) e o Programa Mãos Amigas para fortalecer e expandi-lo pelo estado. Criado em setembro de 2012 para ressocializar presos do regime semiaberto, o projeto já reformou 380 escolas estaduais e economizou R$ 6,8 milhões aos cofres públicos.“Essa é uma iniciativa na qual todos saem ganhando: o detento ocupa o tempo e a cabeça, reduz sua pena e ainda manda dinheiro para a família. O Estado economiza recursos, a comunidade escolar tem os colégios de cara nova e a sociedade reintegra esses cidadãos ao seu convívio”, destaca Hussein Bakri, que é líder do governo Ratinho Junior (PSD) na Alep e Presidente da Comissão de Educação do Legislativo estadual.Por meio do Programa Mãos Amigas, os detentos realizam serviços de pintura, limpeza, jardinagem e pequenas reformas nas instituições de ensino, com materiais custeados pelo Estado ou arrecadados pela própria comunidade escolar. A partir de um convênio entre a Fundepar (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional) e o Depen (Departamento Penitenciário do Paraná), o projeto já chegou a Curitiba e região metropolitana, Ponta Grossa, Guarapuava, Francisco Beltrão e Londrina, e está sendo expandido para Maringá, Cascavel e Cruzeiro do Oeste.Um dos principais reflexos se dá no caixa do Estado. Como cada três dias de trabalho representam um dia a menos de prisão, o poder público economiza R$ 7,5 mil anualmente por detento com essa remissão de pena. Além disso, a economia diária chega a R$ 100,36, uma vez que o custo de um profissional da iniciativa privada seria de R$ 165,36 contra R$ 65 de um preso. A estimativa é que o custo final de cada obra realizada por meio do Mãos Amigas fique até 70% mais barato.Os detentos, por sua vez, recebem 75% de um salário mínimo (R$ 748,50), dos quais R$ 548,90 vão para a família e o restante fica depositado em uma conta até que eles ganhem a liberdade. “Em quase sete anos de projeto, nunca tivemos qualquer problema com o comportamento dos presos. Pelo contrário, ao deixar o sistema carcerário tendo adquirido uma série de conhecimentos profissionais, a reincidência tem sido praticamente zero desde então”, comemora o coordenador do programa, Nabor Bettega Junior.
21/05/2019 (00:00)
Visitas no site:  457750
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.