Sexta-feira
21 de Setembro de 2018 - 

Acompanhar Processos

Cliente, insira seu e-mail e senha para ter acesso a informações de seu Processo

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,13 4,14
EURO 4,83 4,83

Previsão do tempo

Hoje - Campo Mourão, PR

Máx
26ºC
Min
17ºC
Pancadas de Chuva

Sábado - Campo Mourão, PR

Máx
30ºC
Min
17ºC
Poss. de Panc. de Ch

Domingo - Campo Mourão, PR

Máx
32ºC
Min
19ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Campo Mourão, PR

Máx
33ºC
Min
20ºC
Poss. de Pancadas de

Notícias

Newsletter

Cadastre aqui se deseja receber informações periódicas sobre nossas atividades.

Contato

Avenida Advogado Horácio Raccanello Filho 6326 Sala 05
Novo Centro
CEP: 87020-035
Maringá / PR
+55 (44) 8805-5442+55 (44) 3029-9373

BNMP 2.0: Tribunal avança cadastro biométrico de presos em Alagoas

O Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF), do Tribunal de Justiça (TJ/AL), iniciou mais uma etapa do cadastro biométrico dos presos de Alagoas, nesta segunda-feira (12), no Núcleo Ressocializador da Capital. Os trabalhos devem continuar até quinta-feira, com o apoio dos funcionários da unidade. No Núcleo, há atualmente 138 presos. O objetivo maior é cadastrar as impressões de digitais dos mais de 4.500 presos do Sistema Prisional alagoano. De acordo com o desembargador Celyrio Adamastor Tenório Accioly, supervisor do GMF, a princípio os dados estarão disponíveis para o Tribunal, por meio do Sistema de Automação da Justiça, e para o Banco Nacional de Monitoramento de Prisões. Depois, todos os órgãos de segurança pública terão acesso. “Carecemos dessa biometria para que possamos ter nos nossos arquivos todo o acervo daqueles que por aqui passam e passarão. Será muito útil porque numa investigação a posteriori, nós teremos como identificar o cidadão, saber a verdade”, disse Celyrio Adamastor, referindo-se a infratores que se apresentam com identidade falsa perante a Justiça. O desembargador informou que em breve também será implantada estrutura para o cadastro biométrico durante as audiências de custódia, conforme recomenda o Conselho Nacional de Justiça. Na oportunidade, Celyrio Adamastor ainda ressaltou que o Núcleo Ressocializador da Capital é uma referência em Alagoas e no Brasil, pela tranquilidade da convivência entre os presos. “Devemos pulgar a necessidade de darmos a eles um trabalho externo, precisamos depositar confiança neles e reintegrá-los”, acrescentou. O cadastramento biométrico foi iniciado no presídio feminino Santa Luzia, em 12 de janeiro.
14/03/2018 (00:00)
Visitas no site:  376027
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.