Sexta-feira
22 de Janeiro de 2021 - 

Acompanhar Processos

Cliente, insira seu e-mail e senha para ter acesso a informações de seu Processo

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,32 5,32
EURO 6,46 6,46

Previsão do tempo

Hoje - Curitiba, PR

Máx
24ºC
Min
19ºC
Pancadas de Chuva

Sábado - Curitiba, PR

Máx
25ºC
Min
18ºC
Pancadas de Chuva

Domingo - Curitiba, PR

Máx
21ºC
Min
18ºC
Chuva

Segunda-feira - Curitiba, PR

Máx
22ºC
Min
18ºC
Chuva

Hoje - Campo Mourão, PR

Máx
27ºC
Min
21ºC
Pancadas de Chuva

Sábado - Campo Mourão, PR

Máx
29ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva

Domingo - Campo Mourão, PR

Máx
27ºC
Min
20ºC
Chuvas Isoladas

Segunda-feira - Campo Mourão, PR

Máx
28ºC
Min
20ºC
Chuva

Hoje - Maringá, PR

Máx
30ºC
Min
21ºC
Pancadas de Chuva

Sábado - Maringá, PR

Máx
30ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva

Domingo - Maringá, PR

Máx
24ºC
Min
21ºC
Nublado

Segunda-feira - Maringá, PR

Máx
27ºC
Min
21ºC
Chuva

Notícias

Newsletter

Cadastre aqui se deseja receber informações periódicas sobre nossas atividades.

Contato

Avenida Advogado Horácio Raccanello Filho 6326 Sala 05
Novo Centro
CEP: 87020-035
Maringá / PR
+55 (44) 8805-5442+55 (44) 3029-9373

Assembleia Legidlativa de Mato Grosso não pode aprovar licença ambiental para centrais elétricas

O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) declarou, por maioria de votos, a inconstitucionalidade do artigo 279 da Constituição do Estado de Mato Grosso, que submete à autorização da Assembleia Legislativa a expedição de licença ambiental para a construção de centrais hidrelétricas e termelétricas. A decisão foi tomada nos autos da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 6350, julgada procedente na sessão virtual encerrada em 9/10. Na ação, o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, argumentava que a exigência viola o princípio da separação de Poderes (artigo 2° da Constituição Federal), pois o licenciamento ambiental tem caráter administrativo e diz respeito ao exercício do poder de polícia, a cargo do Poder Executivo. Em abril, o relator, ministro Gilmar Mendes, deferiu liminar para suspender a vigência do dispositivo. No julgamento do mérito, o relator lembrou que o Supremo já analisou a matéria no julgamento da ADI 1505 e concluiu, por unanimidade, que as autorizações ambientais são atividades típicas do Poder Executivo, tema tratado na Lei federal 6.938/1981. Segundo Mendes, condicionar a aprovação de licenciamento à prévia autorização da Assembleia Legislativa implica indevida interferência do Poder Legislativo na atuação do Poder Executivo. Gilmar Mendes acrescentou que as normas gerais relativas ao licenciamento ambiental são de competência da União (artigo 24, inciso VI, da Constituição Federal), segundo entendimento firmado pela Corte na ADI 1086 e confirmada na ADI 4272. Ficou vencido o ministro Marco Aurélio. Leia mais: 30/3/2020 - Governo de MT questiona aprovação de licença ambiental para centrais elétricas pelo Legislativo
16/10/2020 (00:00)
Visitas no site:  1099614
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.