Domingo
15 de Dezembro de 2019 - 

Acompanhar Processos

Cliente, insira seu e-mail e senha para ter acesso a informações de seu Processo

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,09 4,09
EURO 4,56 4,56

Notícias

Newsletter

Cadastre aqui se deseja receber informações periódicas sobre nossas atividades.

Contato

Avenida Advogado Horácio Raccanello Filho 6326 Sala 05
Novo Centro
CEP: 87020-035
Maringá / PR
+55 (44) 8805-5442+55 (44) 3029-9373

Assembleia começa debater projeto que incorpora Emater, Iapar, Codapar e CPRA

O sistema de agricultura do Paraná está em uma encruzilhada, define Norberto Ortigara. O secretário da Agricultura e do Abastecimento do Estado se refere ao projeto de lei n° 594/2019, de autoria do Poder Executivo, que cria o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná. Caso aprovado, o órgão nascerá da incorporação do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), do Centro Paranaense de Referência em Agroecologia (CPRA), da Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná (Codapar) e do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar).A encruzilhada a que se refere Ortigara é justamente a da escolha entre manter órgãos tradicionais da administração ou transformar tudo em algo novo. Para chegar a uma solução, a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) iniciou nesta quarta-feira (9) a discussão do projeto, durante uma audiência pública realizada no Plenarinho da Casa. Representantes de persos setores da cadeia rural do Estado participaram do encontro, sempre com opiniões contra ou a favor.Entre as resoluções da audiência está a criação de um grupo de estudo formado por deputados para acompanhar a tramitação do projeto. O grupo pretende reunir sugestões das mais persas correntes para contribuir com a melhoria da matéria. A necessidade é unânime e a primeira reunião está marcada já para a próxima segunda-feira (14).O secretário de Agricultura disse que a ideia é receber as sugestões do grupo. Ainda assim ele defendeu o projeto. Para Ortigara, a “vida” dos quatro institutos está em jogo. “Se não fizermos nada, o Iapar vai acabar em cinco anos, com a falta de funcionários. O CPRA funciona hoje com a capacidade limitada. Sabemos a contribuição da Emater para a agricultura. Toda esta reelaboração foi a forma que encontramos de prover quadro funcional para os órgãos”, argumenta Ortigara. “Se não revertermos isso, perdemos mercado e importância. Ou a gente se moderniza ou a gente morre”, apela.A audiência desta quarta-feira foi uma iniciativa conjunta da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Alep, presidida pelo deputado estadual Anibelli Neto (MDB), e do Bloco Parlamentar da Agricultura Familiar, liderado pela deputada estadual Luciana Rafagnin (PT).De acordo com Anibelli Neto, o objetivo do debate é fortalecer a agricultura. “Esta discussão serviu para que possamos melhorar o serviço oferecido aos agricultores. A partir dela, poderemos fazer encaminhamentos, emendas, substitutivos ou sugestões que melhorem o projeto”, comenta o parlamentar.Para Luciana Rafagnin, a preocupação é a manutenção dos serviços ofertados. “Queremos que as instituições continuem cumprindo sua função. O receio é de que a mudança não garanta a continuidade de assistência ao produtor rural. Não podemos deixar que ninguém saia prejudicado”, diz ela.O diretor da Emater, do Iapar e do CPRA, Natalino Avance de Souza, também defendeu o projeto. Ele lembra que o Iapar, por exemplo, já contou mais de mil pesquisadores, hoje está com 80. No mesmo sentido, a Emater já contou com mais de 2000 colaboradores; atualmente são 141. Ele participou da elaboração do projeto e argumenta que a mudança vai fazer a reposição destes quadros, além de manter as essencialidades institucionais. Também garante a entrega de produtos e serviços de melhor qualidade aos agricultores, contribuindo para uma agricultura mais competitiva e conservacionista.Os deputados Tercílio Turini (PPS), Arilson Chiorato (PT), Goura (PDT), Professor Lemos (PT) e Tadeu Veneri (PT), por outro lado, contribuíram com pontos onde acreditam que o projeto possa melhorar. Já a diretora-presidente da Codapar, Débora Grimm, o diretor de pesquisa do Iapar, Rafael Fuentes Llanillo, e a diretora-adjunta do CPRA, Solange Maria da Rosa Coelho, defenderam a incorporação dos órgãos.Um acordo entre lideranças decidiu que a matéria não vai tramitar na Assembleia em regime de urgência. Atualmente o texto se encontra na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Ainda não há previsão de quando entra em pauta para o debate entre os parlamentares.Iapar - Durante a audiência, o deputado Tercílio Turini defendeu mais uma vez a autonomia do Iapar e a manutenção da sede em Londrina, declarando que desde o início é contra a fusão do Instituto com Emater, Codapar e CPRA. Ele lembrou que em janeiro deste ano já havia alertado o governo estadual sobre o descontentamento das lideranças do agronegócio, produtores rurais, pesquisadores e outros segmentos da agropecuária. "O Iapar é um marco na evolução do agronegócio no Paraná, um centro de inteligência que há décadas contribui para a expansão e a qualificação da agricultura e da pecuária paranaenses, elevando o nosso estado à condição de um dos principais produtores agrícolas do Brasil". Carregando galeria do Flickr...
09/10/2019 (00:00)
Visitas no site:  597378
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.